Confira por que frutas secas são ótima opção para corredores

Por Cláudio Gouveia - ter 08 jan, 2:20 pm

Tradicionalmente apreciadas junto às ceias de final de ano, as frutas secas também são excelentes fontes de energia para os corredores

Nessa época, é grande a variedade de frutas secas disponíveis à mesa da maioria das casas brasileiras, que tradicionalmente são muito apreciadas junto às ceias de final de ano. Além do sabor delicioso, são práticas pelo fato de serem desidratadas, o que também faz delas uma excelente opção de alimento para os corredores, que podem consumi-las antes, durante e depois dos treinos.

Nutricionista especializada em fisiologia do exercício pela Universidade Federal São Paulo e em nutrição esportiva pelas Faculdades Integradas de Santo André, Vanessa Grigoleto Pimentel explica que, ao perderem água no processo de desidratação, as frutas apresentam elevada concentração de carboidratos e maior valor calórico em relação a quando eram frescas. “Enquanto 100 g de ameixas frescas fornecem 50 kcal, o mesmo peso de ameixas secas fornece cerca de quatro vezes mais carboidratos e calorias”, exemplifica Vanessa.

O processo de desidratação faz com que alguns minerais também sejam encontrados em maior proporção na fruta, como é o caso do potássio e do cálcio. “Estes minerais são essenciais durante a atividade física, pois contribuem tanto para a atividade muscular quanto para a cardíaca”, salienta a nutricionista.

Por isso, antes do treino, as frutas secas podem ser uma excelente fonte energética. Já durante o exercício, elas fornecem energia rápida para o corpo. “Por serem desidratadas são pequenas e fáceis de carregar na corrida”, observa Vanessa. Após o treino, também são uma ótima opção para recuperar o glicogênio muscular e os minerais perdidos na atividade.

Confira algumas opções de frutas secas:

Figo – Fruta altamente energética, por ser rica em carboidratos. Entre os sais minerais que contém destacam-se o potássio, o cálcio e o fósforo, que contribuem para a formação de ossos e dentes, evitam a fadiga mental e contribuem para a transmissão normal dos impulsos nervosos;

Ameixas – Por serem extremamente ricas em fibras diminuem o colesterol e previnem a constipação (apesar de também conterem sorbitol, que atua como um laxante). Contém ainda muitos antioxidantes e são ricas em vitaminas A, B, C, E, além de cálcio, betacaroteno e ferro. Também possuem um alto grau de potássio, que ajuda a diminuir a pressão sanguínea e melhora a saúde dos ossos;

Cereja Maraschino – Esta pequena frutinha vermelha é sinônimo de festa nas mesas do final de ano, enfeitando criações culinárias e emprestando seu sabor adocicado para pratos doces e salgados. É fonte de Vitamina A e C e também contém sais minerais como cálcio, ferro e fósforo;

Tâmaras – Devido ao alto conteúdo de carboidratos constituem um alimento muito energético (274 Kcal por 100 gramas de tâmara seca). Cerca de 70% desses carboidratos são açúcares complexos, portanto metabolizadas pelo organismo de forma demorada, proporcionando uma sensação de saciedade prolongada. Também são ricas em potássio, cobre, magnésio e cálcio. Devido ao seu alto conteúdo de vitamina B5, é conhecida pelos seus efeitos tranquilizantes;

Uva – A elevada concentração de açúcares justifica o fato de a uva ser um dos frutos com maior valor energético. Já o conteúdo em fibras alimentares é moderado. É rica em potássio e tem um teor moderado de cálcio, fósforo e magnésio. Dentre as vitaminas, destaca-se o teor de vitamina B6 e, somente na uva preta, os carotenos. É ainda rica em fitoquímicos, desempenhando assim propriedades antioxidantes, que atuam na manutenção da integridade funcional dos vasos sanguíneos e do sistema nervoso, ajudam a combater o envelhecimento e na proteção contra infecções, alguns tipos de cancros e doenças degenerativas.

Roda Livre
Especial para o Terra

Fonte: Terra

Comentar